jusbrasil.com.br
18 de Fevereiro de 2020
2º Grau

Tribunal Regional Federal da 4ª Região TRF-4 - AGRAVO DE INSTRUMENTO : AG 50149475820194040000 5014947-58.2019.4.04.0000 - Inteiro Teor

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

Poder Judiciário
TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4ª REGIÃO

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM Agravo de Instrumento Nº 5014947-58.2019.4.04.0000/PR

RELATOR: Desembargador Federal SEBASTIÃO OGÊ MUNIZ

EMBARGANTE: UNIÃO - FAZENDA NACIONAL

INTERESSADO: AGROINDUSTRIA DE CARNES NOBRES ESPLANADA LTDA

ADVOGADO: ANDRE B. BONNES

INTERESSADO: INDUSTRIA E COMERCIO DE SUBPRODUTOS DE BOVINOS ALECRIM

ADVOGADO: ANDRE B. BONNES

RELATÓRIO

Trata-se de embargos de declaração aviados em face de acórdão desta Turma assim ementado:

AGRAVO DE INSTRUMENTO. EXECUÇÃO FISCAL. PENHORA SOBRE O ESTABELECIMENTO. IMPOSSIBILIDADE.

1. A penhora sobre o estabelecimento, como medida excepcional que é, só pode ser admitida após a constatação de inexistência de outros bens passíveis de penhora.

2. Agravo de instrumento desprovido.

A parte embargante, em suas razões, sustenta omissão porquanto a Lei de Execuções Fiscais prevê que, excepcionalmente, a penhora poderá recair sobre estabelecimento comercial.

Requer o prequestionamento do artigo 11, § 1º, da Lei de Execuções Fiscais, dos artigos 139, inciso IV, 862 e 865, do Código de Processo Civil e do artigo 1.142 do Código Civil.

É o relatório.

VOTO

De acordo com o disposto no artigo 1.022 do novo Código de Processo Civil, cabem embargos de declaração contra qualquer decisão judicial, para: I - esclarecer obscuridade ou eliminar contradição; II - suprir omissão de ponto ou questão sobre o qual devia se pronunciar o juiz de ofício ou a requerimento; e III - corrigir erro material.

No caso dos autos, o embargante invoca a existência de omissão no julgado.

Pois bem.

A fundamentação do voto condutor do acórdão embargado é suficiente para secundar a conclusão nele adotada.

Nesse contexto, o acórdão embargado não padece das máculas ventiladas na petição que veicula estes embargos de declaração.

A hipótese é a de rediscussão da matéria, objetivando o recorrente a alteração das conclusões do julgado, ante a sua contrariedade com o entendimento que prevaleceu na Turma.

No entanto, tal objetivo não pode ser alcançado nesta estreita via, dado o seu estrito âmbito de devolutividade.

Nessas condições, nada há a prover.

Outrossim, para fins de prequestionamento, não se faz necessária a abordagem expressa ou exaustiva de cada um dos dispositivos legais que a parte embargante considera pertinentes.

Ante o exposto, voto por rejeitar os embargos de declaração.


Documento eletrônico assinado por SEBASTIÃO OGÊ MUNIZ, Desembargador Federal Relator, na forma do artigo , inciso III, da Lei 11.419, de 19 de dezembro de 2006 e Resolução TRF 4ª Região nº 17, de 26 de março de 2010. A conferência da autenticidade do documento está disponível no endereço eletrônico http://www.trf4.jus.br/trf4/processos/verifica.php, mediante o preenchimento do código verificador 40001465141v2 e do código CRC 755c66c1.

Informações adicionais da assinatura:
Signatário (a): SEBASTIÃO OGÊ MUNIZ
Data e Hora: 28/11/2019, às 18:35:10

5014947-58.2019.4.04.0000
40001465141 .V2

Conferência de autenticidade emitida em 29/11/2019 21:42:10.

Documento:40001465142
Poder Judiciário
TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 4ª REGIÃO

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM Agravo de Instrumento Nº 5014947-58.2019.4.04.0000/PR

RELATOR: Desembargador Federal SEBASTIÃO OGÊ MUNIZ

EMBARGANTE: UNIÃO - FAZENDA NACIONAL

INTERESSADO: AGROINDUSTRIA DE CARNES NOBRES ESPLANADA LTDA

ADVOGADO: ANDRE B. BONNES

INTERESSADO: INDUSTRIA E COMERCIO DE SUBPRODUTOS DE BOVINOS ALECRIM

ADVOGADO: ANDRE B. BONNES

EMENTA

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. OMISSÃO. INEXISTÊNCIA. REDISCUSSÃO. PREQUESTIONAMENTO.

1. É vedada a rediscussão dos fundamentos da decisão prolatada pela Turma na via estreita dos embargos de declaração.

2. Desnecessária a oposição de embargos de declaração com a finalidade específica de prequestionamento, porquanto implícito no julgamento efetuado, nos termos do que dispõe o artigo 1.025 do novo Código de Processo Civil.

3. Embargos de declaração rejeitados.

ACÓRDÃO

Vistos e relatados estes autos em que são partes as acima indicadas, a Egrégia 2ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região decidiu, por unanimidade, rejeitar os embargos de declaração, nos termos do relatório, votos e notas de julgamento que ficam fazendo parte integrante do presente julgado.

Porto Alegre, 27 de novembro de 2019.


Documento eletrônico assinado por SEBASTIÃO OGÊ MUNIZ, Desembargador Federal Relator, na forma do artigo , inciso III, da Lei 11.419, de 19 de dezembro de 2006 e Resolução TRF 4ª Região nº 17, de 26 de março de 2010. A conferência da autenticidade do documento está disponível no endereço eletrônico http://www.trf4.jus.br/trf4/processos/verifica.php, mediante o preenchimento do código verificador 40001465142v3 e do código CRC f2df8d7e.

Informações adicionais da assinatura:
Signatário (a): SEBASTIÃO OGÊ MUNIZ
Data e Hora: 28/11/2019, às 18:35:10

5014947-58.2019.4.04.0000
40001465142 .V3

Conferência de autenticidade emitida em 29/11/2019 21:42:10.

Extrato de Ata
Poder Judiciário
Tribunal Regional Federal da 4ª Região

EXTRATO DE ATA DA SESSÃO Virtual ENCERRADA EM 27/11/2019

Agravo de Instrumento Nº 5014947-58.2019.4.04.0000/PR

INCIDENTE: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO

RELATOR: Desembargador Federal SEBASTIÃO OGÊ MUNIZ

PRESIDENTE: Desembargador Federal SEBASTIÃO OGÊ MUNIZ

PROCURADOR (A): ANDREA FALCÃO DE MORAES

AGRAVANTE: UNIÃO - FAZENDA NACIONAL

AGRAVADO: AGROINDUSTRIA DE CARNES NOBRES ESPLANADA LTDA

ADVOGADO: ANDRE B. BONNES (OAB PR015837)

AGRAVADO: INDUSTRIA E COMERCIO DE SUBPRODUTOS DE BOVINOS ALECRIM

ADVOGADO: ANDRE B. BONNES (OAB PR015837)

Certifico que este processo foi incluído na Pauta da Sessão Virtual, aberta em 20/11/2019, às 00:00, e encerrada em 27/11/2019, às 14:00, na sequência 284, disponibilizada no DE de 08/11/2019.

Certifico que a 2ª Turma, ao apreciar os autos do processo em epígrafe, proferiu a seguinte decisão:

A 2ª TURMA DECIDIU, POR UNANIMIDADE, REJEITAR OS EMBARGOS DE DECLARAÇÃO.

RELATOR DO ACÓRDÃO: Desembargador Federal SEBASTIÃO OGÊ MUNIZ

Votante: Desembargador Federal SEBASTIÃO OGÊ MUNIZ

Votante: Desembargadora Federal MARIA DE FÁTIMA FREITAS LABARRÈRE

Votante: Desembargador Federal RÔMULO PIZZOLATTI

MARIA CECÍLIA DRESCH DA SILVEIRA

Secretária


Conferência de autenticidade emitida em 29/11/2019 21:42:10.